Curso: Breve História dos Quadrinhos (Rafa Campos)

Frete grátis

R$160,00


Duração: curso presencial com 4 encontros de 2 horas cada
Datas: Segundas-Feiras, dias 08, 15, 22 e 29 de abril
Horário: 19h às 21h
Local: Ugra - Rua Augusta, 1371, loja 116 (confira o mapa)
Idade recomendada: 16+

O curso, de 4 aulas, traça um retrato parcial da história dos quadrinhos, com algumas de suas contribuições mais importantes. Na inscrição, o aluno tem acesso a todos os números digitalizados da enciclopedia "História de Los Comics", organizada por Javier Coma, com textos de vários autores. Confira o programa:

• Aula 1 - De Nemo a Krazy Kat: as tiras americanas do início do Século XX
Alguns dos maiores artistas de quadrinhos de todos os tempo atuaram nos jornais americanos, nas primeiras décadas do século XX. Herriman, MacCay, MacManus, Feinninger, além das cartunistas mulheres, como Fay King e Rose O´Neil lançam a base do que será, não somente os quadrinhos, mas a cultura do século XX.
• Aula 2 - De Captain Easy aos super-heróis: as tiras de aventura e o início dos gibis
As tiras de jornal tomam a cultura americana,e depois mundial, e as histórias começam a se desenvolver em longas sagas, que podem durar décadas. Mais de que nunca, os quadrinhos passam a modelar a cultura a narrativa ocidental, ao lado do cinema e do rádio.
• Aula 3 - De Nhô Quim a Fradim: estranha história dos quadrinhos brasileiros.
O Brasil sustenta, até os anos 1990, uma importante produção gráfica, com gênios narrativos como J.Carlos e Henfil. As peculiaridades e assimetrias de nossa história gráfica, se dificultaram um mercado pujante, abriram espaço para artistas únicos, que poderiam ocupar qualquer panteão dos grandes artistas de todos os tempos.
• Aula 4 - De Tintim a Pravda: uma brisa européia
Se os americanos inventaram os quadrinhos modernos, os europeus inventaram seu formato como produto, tal como o conhecemos hoje. As graphic novels, albums luxuosos ou artesanais, quadrinhos históricos adultos, sagas de ficção histórica e erótica nascem da iniciativa dos artistas europeus de afirmarem a nona arte como uma forma de expressão legítima e magnífica.

Sobre o professor:
Rafael Campos Rocha nasceu em São Paulo, em 1970. Publicou diversas novelas gráficas, como Deus, essa gostosa pela cia das letras e Deus aos Domingos pela editora veneta. Foi cartunista e ilustrador do jornal A Folha de São Paulo, onde ganhou os prêmios "Society for New Design" e "Europa Newspaper award" pelo seu trabalho no caderno Ilustríssima. Atualmente trabalha como roteirista chefe do seriado Tainá e os Guardiões da Amazônia, além de continuar produzindo artigos sobre quadrinhos e sua próxima novela gráfica Kriança Índia.