Fronteira Híbrida (Luiz Gê)

R$109,00
Entregas para o CEP:
Meios de envio
  • Ugra Rua Augusta, 1371 loja 116 - Galeria Ouro Velho - São Paulo - SP // Horário de retirada: de segunda a sábado, das 13h às 19h.
    Grátis


Formato: 22 x 29 cm
Páginas: 240
Editora: Mmarte
Idioma: Português
País de Origem: Brasil

Luiz Gê é um monumento dos quadrinhos brasileiros. Afastado do mercado editorial nos últimos anos, o icônico artista retorna com FRONTEIRA HÍBRIDA: Relações improváveis entre música e quadrinhos, um livro que amplia os limites da linguagem quadrinística de forma inédita.
Grande homenageado da 6ª Bienal de Quadrinhos de Curitiba, estava prevista uma exposição retrospectiva de sua carreira. A pandemia não permitiu. Nasceu daí a ideia de um livro que abordasse a relação entre música e HQs (o tema desta edição da Bienal) na obra do paulistano – e a MMarte teve o privilégio de ser convidada para editá-lo.  
Uma antologia que compilasse os trabalhos do quadrinista dentro do recorte música e quadrinhos seria a escolha mais óbvia. Mas nada que envolva um artista do calibre e da inquietude de Gê poderia ser óbvio. FRONTEIRA HÍBRIDA faz jus ao título: o livro transita entre HQ, humor, design, direção de arte, fotografia, experiências tridimensionais, livro de arte e teoria – caso alguém ainda não saiba, Gê é também professor universitário e pesquisador acadêmico.
A parceria de décadas com o expoente da Vanguarda Paulistana, Arrigo Barnabé – que inclusive escreve o prefácio de FRONTEIRA HÍBRIDA –, não poderia ficar de fora. Tubarões voadores (especialmente colorida por Gê para a edição), as duas versões de Clara Crocodilo, tudo isso (e muito mais) está no livro, de forma minuciosa e aprofundada como nunca antes. Mas a grande novidade, inédita em todos os aspectos, são as transcriações que Luiz Gê fez de duas óperas de Arrigo e um espetáculo cênico-musical de Stravinsky, dos quais foi diretor de arte.
A partir de registros fotográficos feitos de próprio punho, Gê transformou O homem dos crocodilos, Santos Dumont: Enquanto estiverem acesos os anúncios luminosos e A história do soldado em inusitadas narrativas quadrinísticas, híbridas e experimentais. Um trabalho inteiramente produzido em 2021, que exibe um artista mais criativo que nunca. Aliás, FRONTEIRA HÍBRIDA é o exemplo máximo do que seria um livro de autor: absolutamente tudo na publicação foi criado pelo próprio Luiz Gê, das HQs aos textos, do design às ilustrações.