Pequenas Realidades (Tabitha King)

20% OFF
R$64,90 R$51,90
Entregas para o CEP:
Meios de envio
  • Ugra Rua Augusta, 1371, loja 116 – São Paulo/SP. Retirada às quartas e aos sábados, das 12h às 19h.
    Grátis


Formato: 16 x 23 cm
Páginas: 320
Editora: DarkSide
Idioma: Português
País de Origem: Brasil

Se tem uma história que todo fã de terror já ouviu é como Carrie, a Estranha — livro de estreia de Stephen King, que deu um novo fôlego à literatura de suspense ao ser publicado, em 1974 — foi recuperado de uma lata de lixo. O que talvez nem todos saibam é que a pessoa responsável por salvar o livro de seu destino cruel foi Tabitha King, a mais nova Dama do Terror da DarkSide® Books.
Ela encontrou algumas páginas amassadas, leu tudo e pediu para que ele continuasse. Não restam dúvidas: Tabitha King tem olho para boas histórias. E chegou a vez dos darksiders conhecerem os universos que habitam a mente desta grande escritora.
Preparar uma edição à altura da dama Tabitha King está nos planos da Caveira desde os primórdios do nosso império do terror. Mas cada acontecimento especial tem sua hora para chegar. E este sonho virou realidade.
Publicado no Brasil na década de 1980 em uma coleção de terror e fantasia, Pequenas Realidades viveu mais de trinta anos em sebos e prateleiras empoeiradas. Carregado de sutilezas, bizarrices e ferocidade, o livro carrega em seu cerne uma fascinação que fez parte de infância de muita gente: miniaturas. Casas, móveis... e, por que não?, pessoas.
Neste livro, conhecemos a socialite Dorothy Hardesty Douglas, filha de um antigo presidente norte-americano, que vive na redoma de seu legado de sucesso. Entusiasta de miniaturas, ela possui uma réplica da Casa Branca, perfeita em seus mínimos detalhes. Ao conhecer um homem chamado Roger Tinker, que trabalhou para o governo em um projeto secreto, ela descobre uma maneira fantástica — e um tanto perturbadora — de decorar sua casinha.
Em uma trama que envolve relações familiares problemáticas e o mundo estranho e obsessivo das miniaturas, Tabitha King conduz o leitor por uma história grotesca e disfuncional. Não sabemos para onde os personagens vão nos levar com seus atos extremos, e a sensação fascina e aterroriza na mesma medida.